Logo Ivory

Categorias

Roteiro de entrevista: como fazer e conduzir em 7 passos

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

O roteiro de entrevista é uma peça fundamental para realizar boas contratações. Continue lendo o texto para descobrir o que é o roteiro, porque ele é tão importante e como conduzir uma entrevista com sucesso!

Em tempos turbulentos, ter no seu time os melhores talentos disponíveis na área pode fazer toda a diferença.

Toda crise faz com que a mão de obra qualificada se torne ainda mais demandada — e o primeiro passo para conseguir contratar melhores profissionais é saber como fazer um roteiro de entrevista de emprego.

O que é o roteiro de entrevista?

Podemos definir o roteiro de entrevista como um guia, uma base para o entrevistador conduzir a entrevista de emprego. Por isso, o questionário do roteiro deve conter perguntas pertinentes, tanto com relação à vaga a ser preenchida quanto à empresa que está contratando.

Assim, não é difícil perceber o peso e a importância que o roteiro de entrevista possui. Afinal, ao contratar um profissional, a empresa está fazendo uma aposta em sua capacidade técnica e em seu talento.

O roteiro de entrevista também contribui para um fator muito importante durante o processo de seleção: a padronização das informações sobre diversos candidatos. Isso tende a ajudar o recrutador futuramente, no momento da escolha, tornando-o mais justo e igualitário.

Mas, para ter certeza de que está fazendo a escolha correta, é preciso ter em mãos a maior quantidade de informações possível sobre os candidatos.

É aí que entra o questionário do roteiro de entrevista: justamente para extrair informações essenciais do histórico profissional, da experiência prévia e das habilidades dos candidatos.

E, embora não seja obrigatório, o roteiro costuma ser conduzido por um especialista em RH, e o motivo para isso é que os profissionais de recursos humanos são treinados especificamente para saber como conduzir a entrevista de emprego.

Pois, assim como no cinema, não basta ter um bom roteiro para ter uma boa performance: é preciso, também, ter alguém no comando que saiba coordenar a conversa, e com isso extrair o máximo possível de informações ricas e detalhadas dos entrevistados.

Confira também – Recrutamento & Seleção: guia completo para encontrar o candidato certo!

Mas por que o roteiro de entrevista é tão importante?

Como dissemos antes, o roteiro de entrevista de emprego é essencial para identificar os pontos que o RH e a empresa precisam saber antes de contratar alguém. São questões como:

  • quais os pontos fortes e fracos do profissional;
  • qual a sua experiência prévia na área de atuação da vaga a ser preenchida;
  • porquê o candidato quer trabalhar na empresa e como pretende ajudá-la a se tornar uma organização ainda melhor;
  • onde ele se vê profissionalmente em alguns anos;
  • quais os cursos e capacitações que o candidato já concluiu, entre outras coisas.


Mas é importante lembrar que, ao longo da jornada de contratação, serão entrevistados dezenas ou até centenas de pessoas, como no caso dos 
processos Trainee. Por isso a importância da construção de um roteiro linear que padronize as informações, como comentamos acima.


Assim, errar na hora de fazer o questionário do seu roteiro de entrevistas, por exemplo, é um jeito simples de fazer uma contratação ruim. E isso, por sua vez, pode aumentar a taxa de 
turnover da organização, ocasionando perda de produtividade e maiores gastos, no futuro, com processos seletivos extras.

Por isso, é de extrema importância que, antes de tomar uma decisão final, a empresa tenha acesso ao maior conjunto possível de dados e informações sobre os candidatos. E, para tanto, você precisa saber como escrever e conduzir um roteiro de entrevista.

Como fazer e conduzir o roteiro de entrevista?

Agora que você já tem em mente o que é o roteiro de entrevista e porque ele é tão importante, vamos te ensinar como fazê-lo. É só seguir o passo a passo abaixo!

7 passos para elaborar o roteiro e conduzir a entrevista de emprego

1. Planejamento é a base de tudo

Um bom planejamento faz total diferença em qualquer processo, e não é diferente com a elaboração de um roteiro de entrevista. Portanto, dedique tempo a ele para não se esquecer de nenhum ponto importante.

Nessa fase, é crucial o alinhamento entre a equipe de recrutamento e as lideranças da vaga para a definição dos objetivos e processos das entrevistas: terá testes lógicos? Será somente entrevista? Quantas etapas serão necessárias?

Em alguns casos, o it recruiter precisa elaborar, juntamente com o gestor(a) da área, testes práticos que comprovem o conhecimento técnico dos candidatos.

Por fim, o planejamento também deve preparar o recrutador para responder perguntas do entrevistado, tais como:

  • Quantas pessoas há na equipe que o candidato futuramente irá integrar;
  • Quais exemplos de projetos realizados;
  • Qual a situação atual da empresa, aqui vale ressaltar prêmios como Great Place to Work, entre outros.

2. Elenque quais perguntas precisam ser respondidas

O questionário de perguntas é um dos passos mais importantes para a elaboração do roteiro de entrevista de emprego. Mas, antes de colocar as questões no papel, é preciso ter em mente qual o perfil da empresa e quais habilidades que a vaga requer.

Vamos dar um exemplo para deixar isso mais claro: supomos que a posição a ser preenchida é de desenvolvedor em uma startup de TI.


Então, para formular as perguntas do questionário, é preciso pensar em diversos fatores, como a 
cultura organizacional da startup, o nível de senioridade da posição e quais as linguagens de programação necessárias para empenhar o trabalho.

Contudo, apesar de algumas perguntas do roteiro de entrevista serem mais específicas para cada ocasião, outras são aplicáveis a um número maior de cenários.

Por exemplo, é bastante comum encontrarmos a pergunta “por que você deseja mudar de emprego” nos questionários, visto que ela é bastante útil para extrair informações relevantes do histórico profissional do entrevistado.

No caso, a relação dele com o antigo empregador pode revelar sua capacidade (ou não) de seguir ordens e trabalhar em equipe, entre outras coisas.

Por isso, tente sempre centrar suas perguntas em questões relevantes para a escolha do candidato — especialmente porque o tempo disponível para a entrevista costuma ser curto e corrido.

Caso tenha dúvidas sobre quais perguntas selecionar, aqui vão algumas dicas:

  • Quais são seus diferenciais para o trabalho?
  • Por que você gostaria de trabalhar em nossa empresa?
  • Como você lida com a pressão por resultados?
  • Como foi sua última experiência?
  • Pontos fortes e fracos
  • Por que você escolheu essa profissão?
  • Quais suas metas profissionais no longo prazo?

A cultura organizacional é um fator determinante na empresa? Se a resposta for sim, convém adicionar perguntas de fit cultural ao roteiro de entrevista. Tais como:

  • O que seus colegas de trabalho diriam sobre você?
  • Comente sobre um momento em que você ultrapassou as expectativas e como você o fez.
  • O que seu (ex) chefe diria sobre você?
  • Dê um exemplo de uma ocasião na qual enfrentou um desafio no trabalho e como você lidou com isso?
  • Qual foi a maior conquista da sua carreira? Me explique o porquê.
  • O que você sabe sobre a nossa empresa e nossa cultura organizacional?

3. Apresentação

Este é o momento de “vender o peixe” da empresa. Mas, claro, sendo sempre honesto sobre o que a empresa espera do candidato e o que ele pode esperar dela. Este alinhamento prevenirá a organização de cobranças injustas no futuro e do temido turnover.

Ainda que você já tenha feito contato inicial com o candidato, é de bom tom que você se apresente novamente e dê um breve panorama da sua atuação na empresa.

Feito isso, apresente a organização focando em aspectos culturais e práticos:

  • Quantos colaboradores;
  • A história por trás de seu surgimento
  • Missão, visão e valores;
  • Cultura organizacional;
  • Vantagens e benefícios (aqui vale ressaltar as ações de employee experience, caso a empresa seja adepta da estratégia), entre outros.

Lembre-se, a apresentação deve ser feita de maneira energética e engajada e ser, ao mesmo tempo, sucinta e objetiva. Por isso, não deve ser nem rápida demais, nem tão aprofundada quanto no processo de onboarding, afinal ela pode se tornar cansativa para você e para o candidato, comprometendo as demais fases do roteiro de entrevista.

4. Busque deixar o candidato confortável

Quem já esteve do outro lado de uma entrevista de emprego sabe na pele qual é a sensação. No início, é comum que os candidatos se sintam nervosos e pouco à vontade, o que pode prejudicar suas respostas e, com isso, a avaliação.

Portanto, para que a conversa seja mais rica e fluida, tente deixar os entrevistados mais confortáveis na entrevista. Você pode começar com questionamentos mais leves, perguntando, por exemplo, se ele chegou a assistir algum filme que estreou recentemente no cinema, ou algo semelhante.

E, como entrevistador, um bom jeito de iniciar o papo é fazendo uma breve introdução da empresa, contando um pouco da história e apresentando os fatos mais relevantes.

Só cuidado para não deixar o tempo passar despercebido. Se for necessário, você pode deixar um relógio ou celular do lado para cronometrar o tempo e melhor conduzir o timing da conversa.

5. Utilize o currículo para questionar os entrevistados

O currículo dos candidatos é uma das peças de maior relevância na hora de formular o seu roteiro de entrevista.

Antes mesmo da reunião começar, tente sempre analisar com cuidado a experiência prévia dos candidatos, os cursos e especializações, e durante a entrevista, tente investigar com maior detalhe alguns dos pontos do currículo.

Peça mais informações sobre as decisões profissionais que ele tomou, descubra quais responsabilidades ele já assumiu, e se já esteve em posições de liderança anteriormente.

6. Evite interrupções frequentes

Para o entrevistador, a hora da entrevista é o momento de extrair as informações essenciais que a empresa precisa saber de cada candidato. Então, é importante evitar fazer interrupções frequentes e deixar os entrevistados falarem mais à vontade.

A pessoa que conduz a entrevista deve reservar as suas intromissões para guiar a conversa aos tópicos elencados no roteiro. Dessa forma, o entrevistador poderá também observar com maior afinco como o candidato está respondendo às perguntas e se portando durante a entrevista.

Claro, porém, que em certos momentos o entrevistador pode fazer comentários ou demonstrar sua opinião, até para ajudar a “quebrar o gelo”, como dissemos acima. Mas isso deve ser visto como uma exceção, e não uma regra.

7. Termine com detalhes da vaga

E, chegando no final da conversa, uma boa maneira de encerrar a entrevista é oferecendo detalhes da posição a ser preenchida. Mas é importante não ter receio de falar sobre os benefícios e a remuneração da vaga. Na verdade, é mais que justo que os candidatos tenham acesso à essas informações, pois muitas vezes os anúncios de emprego não deixam claro tais informações.

Dessa forma, eles poderão gerenciar suas expectativas em torno da vaga aberta na empresa. E, além disso, compartilhar essas informações é um bom jeito de observar, em tempo real, como a mão-de-obra do mercado está reagindo às condições que a empresa oferece.

Isso pode até não parecer muita coisa, mas é preciso entender que quando se busca os melhores profissionais disponíveis, eles certamente estão sendo sondados por outras empresas — e não pensarão duas vezes antes de aceitar uma melhor proposta.

Assim, conseguir esse feedback dos candidatos é bastante útil para negociar valores ou, até, para servir como referência na elaboração de processos seletivos no futuro.

Por fim, é sempre bom reservar uns minutinhos da entrevista para tirar dúvidas e fazer esclarecimentos sobre a posição. Em tempos de reuniões apertadas, ter esse planejamento prévio pode prevenir futuros atrasos e descompromissos.

Leia mais: Como fazer um anúncio de emprego e atrair os melhores talentos?

O que evitar durante a entrevista de emprego?

Além de se atentar nas dicas do que fazer ao elaborar um roteiro de entrevista, um bom recrutador deve se preparar e observar os erros mais comuns durante esse processo que, como bem sabemos, não é fácil. Continue a leitura e veja quais os erros mais cometidos.

Deixar que a entrevista vire um monólogo

Esteja atento à condução da conversa para que haja uma troca consistente de informações. Não tome todo o tempo da entrevista falando sobre a empresa. Ao mesmo tempo, não deixe que o candidato conduza todo o diálogo, pois isso pode levar a um desvio do roteiro de entrevista, culminando na não extração das informações necessárias.

Não se preparar

Sabe aquele silêncio constrangedor durante a entrevista? Ele provavelmente foi causado pela falta de preparação do entrevistador.

Há casos em que o candidato é mais introvertido, de fato, mas uma boa preparação deve prever tais casos. Além de elaborar as perguntas, tente imaginar diferentes cenários e como reagir a eles, o candidato monossilábico e ansioso é um deles.

Omitir ou esquecer informações

Já falamos da importância de conquistar talentos para a empresa, mas isso não deve significar, em hipótese alguma, a omissão de informações.

Tanto a omissão quanto o esquecimento de informações pode incorrer na desistência do candidato em um futuro próximo, trazendo prejuízos de custo e tempo para o setor de Recursos Humanos.

Pular a apresentação da empresa ou da vaga

Sabemos bem como a rotina do recrutador, em especial a do tech recruiter, é bastante atribulada, fazendo com que dê vontade de pular e otimizar alguns passos, como a apresentação da vaga ou da empresa.

Mas não deixe que isso ocorra. Não importa quão comum seja a vaga ou quão conhecida é a empresa para a qual você trabalha, elas precisam sempre ser apresentadas ao candidato. Pular este passo acarreta em diversos problemas e impactam, inclusive, na performance do entrevistado.


Lembre-se, quando uma empresa abre vagas, é do 
interesse dela que esse procedimento ocorra da melhor forma possível. Há, portanto, uma avaliação acontecendo dos dois lados, tanto do recrutador quanto do recrutado. Ainda, a má condução do roteiro de entrevista pode afastar possíveis talentos e construir uma impressão negativa da empresa na percepção do candidato e no próprio mercado.

E então, gostou das nossas dicas sobre erros e acertos ao elaborar um roteiro de entrevista de emprego? Compartilhe em suas redes sociais e ajude outros profissionais como você.

Aproveite e se inscreva em nossa newsletter e fique por dentro dos principais assuntos!

Veja também

Fale com um consultor

Fale com um consultor