Logo Ivory

Categorias

O que é e como funciona o design sprint

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Em um lançamento de produto, por mais que tenham sido feitas todas as pesquisas necessárias, sempre existe uma certa ansiedade para ver o resultado e como ficará o produto final. 

Mas, se alguém te parasse na rua e dissesse: “Consigo criar, testar e executar um projeto em cinco dias, você aceita?”, muitos dirão que é uma pegadinha. Pasme, não é!  O que parece ser só mais uma brincadeira, na verdade, é a metodologia conhecida como Design Sprint.

Se você não conhece esse processo, pra que serve e como ele pode te beneficiar, continue lendo este artigo que preparamos. 

O que é design sprint? 

Design sprint é uma metodologia de trabalho que visa encurtar o prazo de conceituação, ideação, criação e testes de um produto/solução para apenas cinco dias. 

Idealizado por Jake Knapp juntamente com Braden Kowitz, John Zeratsky e Michael Marlis. A primeira vez em que o Design Sprint foi colocado oficialmente em prática foi em 2012, quando Knapp apresentou o método para o Google Ventures (GV), firma de capital de risco da Google que investe em startups.

Por ser uma metodologia ágil, hoje é altamente utilizada pelas empresas para desenvolvimento de software, pois permite a equipe que está trabalhando no projeto ter uma boa ideia da eficiência do produto/solução. 

O princípio do Sprint não é lançar um produto para descobrir se ele funciona mesmo, e sim lançar uma versão mais simples da solução, feita com menor número de recursos possíveis, visando realizar uma avaliação crítica e desenvolvimento de um projeto, de forma prática e focada na experiência do usuário. 

Como funciona? 

O conceito do Design Sprint é pautado na agilidade dos processos. Característica muito parecida com outras metodologias ágeis, podendo ser usada em conjunto, mas cada uma com seu diferencial. O Sprint busca um processo intenso de imersão, mantendo o foco na resolução de problemas em um curto espaço de tempo. 

A metodologia pode ser utilizada em quatro situações: 

  1. No começo de um projeto
  2. No meio de um projeto
  3. Para fazer as coisas com mais rapidez e agilidade. 
  4. Como forma de alinhamento com o novo integrante da equipe. 

Conforme mencionado, o processo deve acontecer em cinco dias, e em cada dia, uma tarefa diferente deve ser executada: 

Segunda-feira – Entendimento e Definição 

Entenda qual é o problema e suas características, faça pesquisas e liste necessidades. É um momento importante de colaboração da equipe, pois é preciso que seja exposto o ponto de vista e conhecimento de cada um para que construam um escopo claro e bem alinhado entre eles. 

Terça-feira – Divergência 

Hora de esboçar as ideias pensando nas possíveis soluções, um momento de brainstorm individual. Como parte da proposta da metodologia de Design Sprint, que acredita que as melhores ideias e soluções aparecem individualmente, cada membro da equipe vai focar no tipo de trabalho que sabe desenvolver melhor de acordo com as suas experiências e expertises, atuando dentro da função que lhe acomete. 

Quarta-feira – decisões

Momento de decidir, crucial para a efetividade da metodologia. É hora de decidir qual ideia irá para prototipação e teste. 

Quinta-feira – prototipagem

Coloca-se a ideia escolhida em prática. Cria-se um protótipo de rápido que seja o mais parecido possível com a solução final. É importante definir as atribuições, responsabilidades e prazos. A produtividade e foco de cada profissional será crucial para chegar ao final do dia e ter o protótipo pronto para apresentar no próximo dia. 

Sexta-feira – testes/validação 

Chegou o dia mais aguardado, testar e validar a eficácia do produto ou solução. É o dia de realizar teste e entrevistas com potenciais usuários, para validar e invalidar hipóteses geradas ao longo da sprint, utilizando o protótipo criado.

Nesta fase, é momento de aprender muito também. Tendo em mãos relatórios que demonstrem o que deu certo e errado, fazendo com que a equipe consiga realizar melhorias significativas ao produto. 

É claro que o projeto não finaliza no quinto dia, é apenas um start para o projeto ser colocado em prática e entender a viabilidade dele. A equipe decide se a solução que desenvolveram será levada adiante ou abandonada. 

Como você viu até aqui, o objetivo do Design Sprint é encurtar o caminho para a apresentação da solução a um problema do cliente.

Como você viu até aqui, adotando o Design Sprint em seus projetos, você conseguirá encurtar caminho para a entrega de um protótipo de produto para seu cliente. 

Em razão disto, ele serve para qualquer projeto, independente do segmento. Afinal, aliado a outras metodologias ágeis, é mais uma ferramenta para sua instituição sair na frente e gerar valor ao produto entregue aos seus clientes. 

Não há a necessidade de materiais complexos, na verdade, no Design Sprints, são utilizados instrumentos bem simples como:

  • Quadro, lousa; 
  • Post-it;
  • Papel A3 e A4;
  • Caneta, lápis, borracha e apontadores;
  • Fita adesiva;
  • Relógio.

Com o advento do trabalho remoto também surgiram várias ferramentas para realizar todo o processo online, como o Miro e o FigJam.

Em um ambiente corporativo corrido e atarefado, adotar metodologias que proporcionam mais agilidade, dinamismo e eficiência é mais que necessário para auxiliar os colaboradores a manterem sua produtividade em alta, sem sobrecarga, visto que para realizar o Design sprints é necessário dedicação exclusiva da equipe. 

Aqui na Ivory IT, você pode garantir uma solução que auxilia seu negócio a crescer e introduzir metodologias e inovações de forma ágil e precisa. Conheça mais sobre o Ivory Discovery! Ele faz uma imersão no no seu negócio a fim de entender a necessidade e, assim, prototipar, testar e validar um produto/serviço com detalhes suficientes para a conclusão de como o problema será resolvido.

Entre em contato com um de nossos especialistas e conheça mais

Veja também

Fale com um consultor

Fale com um consultor