Logo Ivory

Categorias

IoT: entenda o que é Internet das Coisas com 8 exemplos práticos

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

A Internet das Coisas é um dos avanços tecnológicos mais conhecidos e significativos dos últimos anos. Apesar disso, poucos conhecem os usos práticos da IoT dentro das empresas. Entenda o que é Internet das Coisas a partir de exemplos reais de aplicações em diversos setores!

A Internet das Coisas, também conhecida pela sigla IoT, é um dos avanços tecnológicos mais conhecidos e significativos dos últimos anos. Apesar disso, poucos conhecem exemplos de usos práticos da Internet das Coisas dentro das empresas, seja no setor de infraestrutura e transportes, na agricultura ou nas indústrias.

Por isso, nesse texto vamos aprofundar o debate a respeito das aplicações da IoT. Você vai descobrir:

O que é Internet das Coisas (IoT)?

Em 1999, o conceito de Internet of Things (IoT), ou Internet das Coisas, começou a ser desenvolvido por um dos principais centros de pesquisa em tecnologia do mundo, o Massachusetts Institute of Technology (MIT). Inicialmente, a ideia era conectar objetos utilizados no cotidiano à internet, de modo a agir de forma inteligente e sensorial, proporcionando mobilidade e acessibilidade a diferentes dispositivos.

Até então, o computador era o único aparelho pelo qual o usuário acessava a internet. Hoje, além de celulares, tablets e TVs, objetos como relógios, óculos, carros, elevadores e geladeiras estão todos conectados. Assim, através de redes e sistemas, dispositivos como esses acompanham nossas rotinas, lêem nossas atividades, geram dados e nos auxiliam no nosso dia a dia.

Mas, ao contrário do que muitos pensam, a IoT vai muito além dessas aplicações no mercado consumidor. Na verdade, o uso organizacional e industrial dos princípios da Internet das Coisas predata em décadas seu uso doméstico.

Fabricantes, provedores de serviços públicos e varejistas há tempos utilizam sensores para rastrear toda a cadeia de valor, por exemplo.

Ou seja, essa coleta de dados operacionais sempre visou monitorar o desempenho das funções e processos básicos do dia-a-dia. Porém, a introdução do big data, análises avançadas e sensores mais acessíveis revolucionaram o propósito e a utilidade da Internet of Things.

Aliás, com o advento da tecnologia 5G, é esperado um enorme avanço nas possibilidades relacionadas aos dispositivos IoT, cujos usos mais avançados requerem tempos de resposta instantâneos e altas velocidades de download e upload para enviar e receber grandes volumes de dados, funções que estão no coração do 5G.

Quais são exemplos práticos da Internet das Coisas?

Existem exemplos da Internet das Coisas em diversos campos de atuação, desde agricultura e manufatura até transportes e uso militar. Então, para entender melhor os diferentes usos e aplicações da Internet das Coisas, separamos 8 exemplos práticos de IoT. Confira!

1. IoT em casas inteligentes

Um dos usos mais conhecidos da Internet das Coisas estão nos dispositivos voltados para as casas inteligentes, envolvendo coisas como iluminação, controle de temperatura, reprodução de mídias, sistemas de segurança, entre outras coisas.

Por exemplo, uma casa inteligente costuma ter como base uma plataforma que controla os diversos dispositivos IoT, como o Apple HomeKit, que permite controlar eletrodomésticos inteligentes através do iPhone ou do Apple Watch.

E um dos benefícios da IoT no uso doméstico é a economia de energia no longo prazo, ao garantir o desligamento automático de luzes e eletrônicos e ao tornar os residentes cientes do seu uso energético, através de sensores que monitoram o consumo de energia.

2. IoT em transportes

A Internet das Coisas pode contribuir bastante na integração de comunicações, controles e processamentos de informações entre diferentes sistemas de transportes.

A dinâmica entre os diferentes componentes IoT dos sistemas permite comunicação intraveicular (dentro do próprio veículo) e inter-veicular (entre veículos), da mesma forma, permite controles inteligentes de tráfego, estacionamentos e pedágios, bem como de logística e gerenciamento de frota.

Na prática, isso significa menos congestionamentos e menores emissões de gases poluentes, dois fatores que prejudicam bastante a qualidade de vida nas grandes cidades.

3. IoT em indústrias

A Internet das Coisas tem ampla utilização em fábricas e indústrias, seja no controle de redes, no gerenciamento de ativos ou no próprio processo de manufatura.

Sensores aliados a controles automatizados permitem otimizações na planta da fábrica. Além disso, sistemas de coordenação industrial podem ser integrados com smart grids, reduzindo custos energéticos.

Com a IoT, é possível ainda realizar manutenções preditivas dos equipamentos, garantindo, principalmente, uma produção estável e com alto controle de qualidade. Ela também permite a manufatura dinâmica, criando novos produtos com a rapidez necessária para atender às demandas do mercado consumidor.

4. IoT na agricultura

Os dispositivos IoT iniciaram uma verdadeira revolução verde no campo. Com a Internet das Coisas, o controle remoto permitiu administrar a produção à distância, conectando as fazendas ao produtor, onde quer que ele esteja.

A coleta de dados relacionados à temperatura, umidade, velocidade de ventos e conteúdo do solo permitem automatizar técnicas agrícolas, como a fertilização de alta precisão.

Além de auxiliar na tomada de decisões, isso reduz o uso de produtos químicos, bem como o risco sazonal de perda de lavouras e o desperdício de alimentos, ajudando a aumentar a quantidade e melhorar a qualidade da produção.

5. IoT no monitoramento ambiental

Com o auxílio de sensores, a Internet das Coisas municia o monitoramento do ar, da água e do solo, podem incluir até mesmo o acompanhamento de animais e dos seus habitats, ajudando empresas, governos e ONGs no cuidado ao meio-ambiente.

Além disso, a IoT já é utilizada em sistemas de aviso prévio de possíveis desastres ambientais, como terremotos e tsunamis, ajudando serviços de emergência a proverem um socorro mais rápido e efetivo em grandes áreas geográficas.

6. IoT na infraestrutura

Operações de monitoramento e controle de estruturas estratégicas como pontes, ferrovias e usinas energéticas são exemplos que demonstram a vasta importância da Internet das Coisas na infraestrutura.

A IoT é utilizada para acompanhar quaisquer eventos ou mudanças em condições estruturais que podem comprometer a segurança desses ativos e provocar acidentes. Com isso, ela ajuda a acelerar a tomada de decisões, bem como o planejamento de atividades de reparo e manutenção e a coordenação de tarefas entre diferentes atores dos setores público e privado.

Ademais, o uso de dispositivos IoT nessa área beneficia amplamente o setor de construção civil, ao aumentar a produtividade e reduzir os custos e prazos das obras.

7. IoT no complexo militar

A Internet of Military Things, ou IoMT, corresponde à aplicação da Internet das Coisas no domínio militar, auxiliando com missões de reconhecimento, vigilância e outros objetivos de combate.

A IoT no complexo militar envolve principalmente o uso de sensores, veículos inteligentes, robôs e outras tecnologias que oferecem apoio à atividade no campo de batalha.

Em áreas vastas e com dificuldade de acesso, como oceanos e florestas densas, drones equipados com câmeras e comandados de forma remota via internet são utilizados no mapeamento, monitoramento e engajamento, sendo peças críticas principalmente na garantia da segurança em fronteiras e em zonas de conflitos.

8. IoT nas cidades inteligentes

Já existem diversos projetos de larga escala que utilizam a Internet das Coisas para aprimorar o gerenciamento de cidades inteligentes e seus sistemas.

Por exemplo, em Santander, na Espanha, desenvolveram um aplicativo conectado a 10 mil sensores instalados por toda a cidade. Nesse app, os cidadãos têm acesso a uma enorme gama de serviços, como por exemplo: procura automática por estacionamentos e monitoramento em tempo real da qualidade do ar.

Já o distrito de Songdo, próximo à capital sul-coreana Seul, é o primeiro exemplo de uma cidade inteligente construída por completo com esse propósito. Por lá, instalaram dispositivos IoT nos prédios e nas ruas, e sensores colhem informações em tempo real sobre uso de energia e fluxo de tráfego. Até mesmo a tubulação da cidade é inteligente, sendo construída para prevenir que água potável seja desperdiçada em vasos sanitários, por exemplo.

Além disso, os dados dos sensores são convertidos em alertas. Eles avisam os habitantes quando seu ônibus deve chegar e notificando autoridades quando um crime está ocorrendo, entre outras aplicações.

Por que as empresas devem investir em Internet das Coisas?

A Internet das Coisas está rapidamente se estendendo para além da tarefa de autenticação e monitoramento. O acesso remoto, via home-office por exemplo, é uma mudança sem volta, pois aumenta a produtividade e a qualidade de vida das pessoas. Mas além dessas, existem três outras razões pelas quais cada empresa deve considerar e integrar a IoT em suas operações. São elas:

  1. Desenvolvimento: à medida que as empresas continuam a coletar mais informações e de uma variedade de fontes, é imprescindível a integração de dados, dispositivos e aplicativos, através de um sistema ERP, por exemplo.
  2. Comportamento do consumidor: segurança, privacidade, conveniência e garantia de qualidade dos serviços são atributos cada vez mais demandados pelos clientes. Com ajuda de análises avançadas, os tomadores de decisão podem investigar esses dados e inovar, assim, criam soluções que convertem usuários em promotores do seu negócio.
  3. Modelos de negócio: com concorrências cada vez mais acirradas, os mercados exigem modelos de negócio dinâmicos e guiados por uma cultura data driven, algo indispensável para elevar sua competitividade ao máximo.

Pensando com olhar de gestão, a Internet das Coisas – IoT – é uma grande oportunidade para inovar e estimular novos negócios. Para tal, basta você ter domínio da tecnologia e entender como utilizar os recursos com maior relevância.

O consumidor está cada vez mais exigente: mudar, então, não é apenas desejável, mas necessário. Por que não incentivar isso dentro do seu ambiente de trabalho?

Com isso, a gente fica por aqui. Se você aprendeu com esse conteúdo, não deixe de se inscrever na newsletter da Ivory para continuar atualizado sobre esse e outros assuntos!

Veja também

Fale com um consultor

Fale com um consultor